Explicações sem sentido:

domingo, 20 de janeiro de 2013

Grata.



Por ser quem eu sou, só tenho a agradecer. Sou de uma pequenez, de uma esquisitice. Não ligo em ajudar alguém, em qualquer coisa. Posso esperar anos por alguém, se disser que voltará. Me tiram um sorriso fácil. Tenho aptidão em ser mãe, e quando for, vou ser carinhosa, até demais. Mesmo (risos). Tenho vontade de me casar antes dos 30, sério, morro de vontade de ter alguém que divida sua vida com a minha. Tenho paixão por música. Qualquer uma que faça eu me perder em sonhos. Tenho uma paixão maior ainda por meus refúgios, que por intermédio ou brincadeira do destino, estão longe de mim. Eu preciso, preciso mesmo soltar minhas palavras. Em frases, textos ou mensagens de celular. Sou chorona quando o assunto é meu coração. Choro na igreja, quando estou com saudades, quando estou triste/feliz, quando penso em certas pessoas, quando alguém precisa de ajuda, quando eu preciso de ajuda. Consigo ser a pessoa mais forte do mundo quando acordo bem, e consigo ser a mais fraca quando brigo com alguém. Sou sensível, sou rude, sou carinhosa, sou apaixonada por saber, por lidar, por namorar, por cuidar. Sou eu em toda essa complicação, toda essa chatice.

2 comentários:

Opiniões: