Explicações sem sentido:

domingo, 26 de abril de 2015

Quando soltei você.


   Não é fácil soltar algo que se quer.  Ainda assim, quando se sabe que não foi feito pra nós, e temos de soltar. Eu deveria ter adiantado essa pequena dor, que agora não é tão pequena. Deveria ter dito não quando sorriu pra mim, ou quando me puxou pela mão. O problema é que não desisto tão fácil, de nada. Agarro até a última chance, e as vezes chorando, solto lentamente. Não achei que desprender-me de você seria essa novela toda, pelo contrário, achei que daríamos boas risadas e ainda ficaríamos falando sobre a vida. Como diria um velho amigo, quanto mais se conhece alguém, ou mais se ama, ou menos se gosta. Talvez um dia, eu descubra qual das duas partes, eu pertenci à você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Opiniões: