Explicações sem sentido:

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Nas profundezas.


Ele enrosca os dedos em seu cabelo. Ela continua parada fitando os olhos daquele que lhe pertenceu tanto tempo, aquele que de alguma forma ainda lhe pertence. Tem carinho nos olhos, e algo mais escondido nas profundezas daquele verde. Um pedido de socorro, desespero de uma resposta do porquê ela estar ali. Não pode fitá-lo diretamente. Seus olhos não sabem mentir. Eles mostram tudo o que o rosto esconde. Mostram a saudade batendo nas paredes tentando quebrá-las, mostram uma criança pedindo colo, implorando pela segurança que seus braços lhe traziam. Ele já não pode oferecer isso, a não ser que ela vá embora também. Não é simples abandonar tudo. Como não é simples seguir o coração. E os dois ficam ali deitados um pro outro, esperando que a hora de ir embora chegue.

Um comentário:

  1. Se a gente pudesse sempre entender o que dizem os olhos, ah cara, muita coisa estaria resolvida. Os olhos nunca mentem, isso é fato.
    Bonito seu texto, bjos.

    ResponderExcluir

Opiniões: