Explicações sem sentido:

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Flamboyant. - Parte 03


Ela quis mesmo que o relacionamento desse certo, ainda mais româtica como era. Mas ele a testava como se fosse um produto novo, e quando ela perguntava o por que... "Sabe, sou inseguro, só queria apenas saber se você gosta de mim mesmo". Aquilo a magoava, mas não desistiu fácil, aquilo parecia fichinha quando lembrava dos almoços perdidos pra ficar com ele, tudo em segredo, tudo bonito, com direito a cartas e tudo mais. Depois de um tempo na casa dos avós, passava horas na internet, algumas delas reservadas pra ele. E em umas das conversas, viu que aquele sonho não ia durar muito.
- Oi.
- Oi.
- A gente precisa conversar pri.
- Eu sei, sobre seus atos repentinos?
- É, também. Sabe, não tá a mesma coisa de antes.
- Olha Caio se for assim...
- A gente precisa dar um tempo.
(...)
- Tá.
- Vai ficar bem? ;s
- Vou sim, e você?
- Aham.
- Agora tenho que ir Caio, minha vó tá me chamando.
- Já ?
- É, tenho que fazer uma coisa ali.
- Tá né ;/
- Tchau Ca.
- Tchau pri.
E o que ela tinha de tão importante a fazer era chorar, chorar enquanto todos da casa dormiam, menos ela e a lua que a escutava na varanda.

3 comentários:

  1. To gostando muitoo.
    Li as outras partes, posta maaaaaaaaais!

    BEIJOOOOOS =)

    ResponderExcluir
  2. que tristinhoo...
    ^^
    gostei

    bjão pra tii

    ResponderExcluir
  3. Muito bom! acho que tive histórias semelhantes... os personagens mudam, o enrredo se repete.
    Gosto das coisas que escreve!
    bjs!

    ResponderExcluir

Opiniões: