Explicações sem sentido:

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Pequenice de uma mulher.




Penso como gente grande desde pequena. Não sei, mas acho que li demais, fiquei sozinha muito tempo ou estudei bastante. Era incrível como ninguém tinha resposta para aquela menina pequena. Talvez a infância teria castigado-a muito. E me lembro como se fosse ontem. "Estava na Educação Física, graças a Deus aqui é gigante, pois aquelas meninas não podem me achar, por que elas não largam do meu pé? O que eu fiz?" Não sei bem o que aconteceu depois, mas a única imagem que me vem à cabeça até hoje, eram cinco ou seis meninas me segurando pelos braços e pelo cabelo até o professor. Eu estava disposta a resistir, mas suas unhas já estavam fincadas em mim, então deixei. Pela história delas eu tinha agredido uma colega por ser gordinha, mas olha só, nem conhecia a tal da colega. Talvez o objetivo era me humilhar diante daquilo tudo, o que realmente conseguiram. Depois desse dia, vieram mais, mas não desse jeito, foram só xingamentos ou coisas desses tipo. Mas a menina, com aquela estrutura pequena e desengonçada, só podia fazer uma coisa. Se juntou aos mais fortes, aos mais bagunçeiros, e até hoje, os mais amigos.

3 comentários:

  1. Oii ;')

    quando der, entra na página de selinhos do meu blog, que o selinho numero 73º é pra você :)

    espero qe goste, beeeijo.

    ResponderExcluir
  2. linda, adorei o post.
    beijos, bom começo de semana!

    ResponderExcluir

Opiniões: